lago escondido

As Expedições, voltei a fazer reconhecimento com trilhas exploratórias, mesmo em época de pandemia, não dá pra perder o rumo, voltamos a cair no mundo, mesmo que perto de casa.

Essa última brincadeira estávamos Eu e o Naldo explorando as trilhas do Pecém. Nada de trilhas convencionais, o esquema é buscar rastros de animais, veredas e se embrenhar no mato.

Isso para no meu caso, futuras expedições fotográficas.

Expedições – Dicas de Segurança

Para sua segurança, é interessante avisar as pessoas que você irá fazer uma trilha ou acampar, inclusive quando passar por pessoas desconhecidas, por moradores no decorrer da trilha.

Dá um “bom dia!”, faz perguntas, “onde tem entrada pra lagoa?”, por exemplo. Isso serve para que as pessoas te vejam. Em caso de emergência podem indicar por onde você seguiu.

Ao deixar seu transporte (bicicleta, moto, carro etc) não esqueça de passar para os moradores. “Vamos fazer caminhada”, “vamos fazer trilha”, “ver o por do Sol” e assim vai…

A medida que vai entrando na mata, procure pontos de referencia. Principalmente quando você começa a fazer expedições na pipoca, sem ter um trilha definida, ter uma bussola e saber como usar pode ajudar.

Expedições – Início da Aventura

Sei que a vontade é pegar uma camiseta, bermuda e chinela e cair no mundo. Mais você está numa expedição exploratória. A conversa fica um pouco diferente. Não sei o que posso encontrar no caminho.

Pomos os pés na trilha as 3 horas da tarde, pegamos um ponto de entrada com mato alto e cheio de carrapichos. Eu apesar da bermuda, botei o tênis, e não sofri tanto. O Naldo sofreu um pouco mais por ir de chinela.

A gente deixou o carro ali próximo da lagoa da Cagece no Pecém. Em frente as últimas casas e ao lado da mata.

O ideal é que te deixem em um ponto e combine onde vai buscar. Mais na pipoca (sem hora pra voltar) podemos nos empolgar, improvisar um abrigo selvagem e pernoitar na mata.

E devido a pandemia não temos tantas pessoas disponíveis pra isso.

Alias, não temos pessoas pra ir deixar né! Porque a galera é só dando toque pra ir com a gente na próxima trilha.

E você sabe né! Caminhar nas dunas dá aquela sensação de liberdade e uma energia que só estando lá pra descrever.

Passamos por baixo das esteiras rumo ao antigo trilho abandonado [hoje não mais], em meio a mata litorânea, terreno arenoso, belas dunas e uma fauna exuberante.

Expedições – O Rastro

Rastro do que parece um felino

Se liga no *rastro no início da trilha. Me parece de um felino, uma jaguatirica talvez. Seguimos as pegadas e dava numa poça d’água.

A ideia é achar novas passagens, e buscar novos lugares, só pelo prazer de está em meio a natureza, sentindo a energia do lugar. Aí você começa a subir as dunas.

Vista do Pecém la de cima do morro

E ao subir, você alem de observar as belezas do local, a vista de cima ainda te dá uma ideia de pra onde seguir, que no nosso caso é ir pra duna mais alta. kkk

Expedições – O Trilho?

Vista da CE 422 que da acesso ao porto do Pecém

Avistamos o trilho lá de cima, que passa ao lado da rodovia CE422 que dá acesso ao Porto do Pecém, estávamos no rumo certo! A vista lá de cima é um espetáculo.

Quando subimos a duna a sua descida dava exatamente a CE422. Estou na pipoca né, não preciso de um roteiro pronto.

Atravessamos a rodovia e seguimos eu e o Naldo no sentido da praia, sobe duna, desce duna, encontrei a ossada de um parente do Naldo. kkkk

Teve até que tirar foto pra mostrar para o resto dos parentes.

Naldo registrando a ossada

O trilho vai ficar pra outro dia, essa região é conhecida pela quantidade de lagoas. Na época das chuvas elas reaparecem para nossa alegria.

E é cada uma mais bonita que a outra!

Normalmente seguimos as trilhas que aparecem. De animais são as preferidas porque nunca sabemos o que vamos encontrar pela frente.

Você pode se deparar com as tocas dos bichos, chegar em uma área cheia de alimentos silvestres, fruteiras, áreas alagadas.

Se liga nesse visual, se a gente estivesse no caminho contrário era mata fechada até chegar a lagoa.

E se não encontra clareiras não tem como se basear. Uma bussola e saber como usá-la nessas horas ajuda bastante.

Lagoa

E o que te deixa encafifado é que sempre aparecem peixinhos nessas lagoas, isso em áreas alagadas sem água corrente.

Até já presto mais atenção se são girinos. Mais na grande maioria são realmente peixinhos.

Conclusão

Vai fazer trilha, é bom está com alguém responsável. Pois numa hora que a emoção falar mais alto que a razão, é bom ter uma pessoa pra questionar as escolhas. Do mais, “cai dentro“!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *