Tartaruga indo para o mar

A ideia hoje é explorar o que poço chamar de Vale das Tartarugas. Isso porque a região é protegida e é um local de desova de tartarugas marinhas. Nessa área é proibido a pesca predatória.

Ainda estamos na vibe das trilhas exploratórias, onde saímos sem destino certo E à medida que adentramos nas trilhas vamos explorando e conhecendo novos caminhos.

Botamos o pé na trilha por volta de umas 4 horas da tarde, como já chegamos um pouco tarde, a ideia é mapear pontos e buscar referência para podermos voltar depois de um plano traçado com wikiloc.

Dessa forma podemos ver os melhores acessos para cada passagem. Se bem que a de hoje foi tranquila demais!

Descemos na linha do Porto, e seguimos, eu e o Naldo pela praia entre o Porto do Pecém e a Barra do Cauípe.

Tinha vários urubus sobrevoando a praia. Quase toco um deles. O chato é que nessas horas a máquina fotográfica quase sempre não está preparada.

Queria mesmo era ver uma tartaruga, já que aquela área é justamente de reprodução de tartarugas marinhas.

Mortalidade das Tartarugas

Começamos a caminhar pela praia e eu vi na água o que parecia um casco com alguma coisa em cima, perguntei ao Naldo o que seria e ele logo correu para retirá-la.

Tartaruga morta na praia

Certos que ela teria se enroscado em alguma rede. Ou um plástico. A pena é que a bichinha já estava morta e parecia ser a pelo menos dois dias.

Isso explicou a quantidade de urubus estavam planando no local. Porquê será né?

Depois desse achado um tanto quanto desagradável, seguimos em direção à Barra do Cauípe.

O visual da região é belíssimo. Você imagina uma paisagem comum de praia.

Nascente

Aí você vê várias nascentes que irrigam a areia da praia. Isso é bem normal. De repente você vê uma nascente desaguando no mar entre o que parecem falésias em formação.

Mais a frente muitas pedras redondinhas que quando você olha para o mar e colocar a câmera próxima dá areia dá um visual incrível.

E o mesmo se dá quando você coloca em indireção a costa, a areia e os coqueiros dão visual todo especial.

A região normalmente já não recebe muitos banhistas, pois é próximo a uma área de proteção ambiental, e tem um pedacinho considerável de terra entre o Porto do Pecém e a Barra do cauipe.

Vez por outra você encontra pescadores por aqui pescando com vara ou arpão. Pois como o Porto é logo alí, não se pode pescar com Jangada ou qualquer outra embarcação. É proibido!

Continuando…

Tartarugas e o Kitesurf

Pouco mais à frente vinham pela água dois velejadores de kitesurf. Que pareciam estar em travessia. Pois tinha uma picape dando apoio.

É muito comum já que estamos bem perto da Barra do Cauípe. E outra que ali é onde você encontra o melhor ponto para velejar pois os ventos são bem fortes.

Eu particularmente gosto muito de kitesurf, mais em área de proteção de tartarugas as quilhas de algumas pranchas de travessia não são bem vindas.

Subindo para o vale

Depois de uma meia hora de caminhada na praia e muitas fotos, subimos no banco de areia e fomos em direção aos morros.

A escolha foi um morro com vegetação mais rasteira. Como estávamos de chinelo, dá para chegar sem problemas e ainda ter um belo visual do pôr do sol.

Assim fizemos, andando sem pressa em direção ao morro. O pôr do sol estava próximo. E de lá dá para avistar várias lagoas no entorno.

Sempre com a câmera ligada e registrando tudo para alimentar os blogs de trazer belos visuais para vocês.

O Naldo ensaiou até um treinamento ninja enquanto achava que eu estava preparando a câmera. Kkkkkkk

Esses morros são muito característico pois como não são muito visitados, acaba que você pode achar belas surpresas pelo caminho, dá uma olhada nessa escultura natural.

Pôr do Sol

Há o pôr do Sol, que maravilha da natureza.

Conclusão

Quando saímos de casa para fazer trilha ou visitar lugares selvagens, a gente tem que ter em mente que podemos encontrar de tudo. Desde as mais belas paisagens como o fim de um ciclo.

Buscamos sempre a preservação do planeta e das espécies. Para que as futuras gerações possam conhecer e contemplar essas maravilhas selvagens.

Vai fazer trilha, é bom está com alguém responsável. Pois numa hora que a emoção falar mais alto que a razão, é bom ter uma pessoa pra questionar as escolhas. Do mais, “cai dentro“!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *