armazenamento de comida
0 0
Read Time:9 Minute, 42 Second

Ah, meu amigo(a), quando se trata de sobreviver após um desastre, um colapso societal ou simplesmente as reviravoltas da vida nestes tempos cada vez mais turbulentos e incertos, é fundamental ter um estoque de necessidades.

E entre todas as provisões, a comida se destaca como uma das mais cruciais.

É verdade que, comparado com abrigo e água, a necessidade de comida pode não parecer tão urgente.

Afinal, você só aguenta algumas horas sem abrigo em condições adversas e alguns dias sem água antes de dar o último suspiro.

Mas, mesmo podendo sobreviver semanas ou até mais de um mês sem comida, as coisas vão gradualmente piorando até que você não consiga se salvar e, eventualmente, morra de fome.

A comida é combustível, e você vai precisar de bastante dela se quiser se manter vivo.

No entanto, apesar de todos os avanços trazidos pela metodologia de preparação na era da internet, ainda persistem e se propagam vários erros factuais e mitos desagradáveis sobre armazenamento de alimentos.

Estamos aqui para fazer nossa própria versão dos Caçadores de Mitos, e vou examinar sete dos piores mitos sobre armazenamento de alimentos que você não deve cair!

Mito #1: “Você não pode se dar ao luxo de criar um estoque de alimentos.”

Esta é uma das falácias mais comuns pelas quais vejo os iniciantes ou futuros preparadores serem enganados em relação ao armazenamento de alimentos.

Eles veem o grande estoque de alimentos de seus vizinhos ou parentes, cuidadosamente organizados em prateleiras em uma despensa de emergência dedicada, e tudo o que conseguem pensar é quanto deve ter custado para montar tudo aquilo. Isso é totalmente compreensível, mas equivocado.

Acumular um estoque digno de alimentos nos quais você possa sobreviver quando os tempos ficarem difíceis não se resume a sair e comprar dois ou três meses adicionais de mantimentos de uma só vez, embora essa possa ser uma opção para algumas pessoas.

Você pode começar agora mesmo, hoje, comprando apenas um ou dois itens extras toda vez que for ao mercado, e então armazenando esses itens adequadamente.

Na próxima vez em que pegar algumas pêssegos em lata, pegue mais uma lata para adicionar ao seu estoque. Quando for ao mercado pegar leite, compre também leite em pó para o seu estoque.

Pequenas compras incidentais e sem dor rapidamente se acumularão até que você tenha um suprimento para 3 dias, depois uma semana, depois um mês e assim por diante. Em pouco tempo, você estará preparado para o longo prazo com um estoque para 3 ou 6 meses!

Essa abordagem gradual e constante não apenas torna mais fácil financeiramente, mas também é mais sustentável e eficaz a longo prazo. A preparação para emergências não é um sprint, mas sim uma maratona de preparo constante e consistente.

Mito #2: “Você pode confiar totalmente na ‘Data de Validade’ na Embalagem.”

Mais do que a maioria dos outros mitos sobre armazenamento de alimentos, a quantidade de desinformação, mentira, falsidade e folclore que cerca a humilde data de validade é impressionante.

Presente em praticamente todos os itens que compramos no mercado, como se constata, sua típica data de validade pode nem mesmo ser uma data de validade de fato: Pode ser uma data de “melhor antes” ou “venda até” que, no máximo, é uma orientação.

Muitos alimentos, se armazenados adequadamente e não contaminados, permanecem bons muito além da data impressa na embalagem.

Outros alimentos podem ter vidas úteis altamente variáveis dependendo de como e onde são armazenados. Alguns até têm uma vida útil francamente indeterminada, e você só poderá confiar neles após uma inspeção ou preparação cuidadosa.

Há muito, muito mais sobre o assunto para entrar aqui, mas basta dizer que você deve confiar em sua própria experiência, observações e iniciativa ao determinar se um alimento está bom, duvidoso ou obviamente não seguro para consumo após o armazenamento.

Essa abordagem de confiar em seus próprios sentidos e discernimento é crucial em meio a tantas informações contraditórias e enganosas sobre as datas de validade dos alimentos.

Mito #3: “Alimentos ‘Ruins’ Mudarão de Cor, Textura, Odor ou Sabor.”

Essa mentira se aproveita da anterior. A sabedoria comum sugere que alimentos estragados mudarão de alguma forma para indicar esse estado.

Talvez cheirem mal, talvez pareçam diferentes, a textura, brilho ou cor mudará e, se chegarmos a esse ponto, certamente o sabor será diferente. Certo? Certo.

Mas não tão rápido: É verdade dizer que alimentos que passaram por qualquer uma dessas mudanças provavelmente estragaram, mas alimentos estragados podem não necessariamente passar por todas essas mudanças.

Acontece que as bactérias de decomposição ou outras contaminações podem estar presentes em alimentos que estragaram, mas ainda não tiveram tempo para perturbar significativamente a aparência típica ou outras características dos alimentos.

Isso significa que aqueles deliciosos tamales enlatados que você tanto adora podem parecer, cheirar e ter o mesmo sabor de sempre, mas estar escondendo uma ameaça bacteriana que vai te deixar com desconforto gastrointestinal.

O ponto é que, para fins de sobrevivência, você realmente precisa ficar atento. Você deve desconfiar de qualquer alimento com embalagem comprometida, mesmo que pareça completamente normal.

Tenha cuidado ao preparar alimentos para cozinhá-los completamente e muito bem, pois isso matará as bactérias que estão por aí.

Se estiver lidando com alimentos que você sabe que estão armazenados há muito tempo, use cautela.

Essa abordagem de precaução é crucial para evitar problemas de saúde e garantir a segurança alimentar em situações de sobrevivência.

Mito #4: “Depois de ter tanto alimento, você pode parar.”

Essa é outra falácia comum sobre armazenamento de alimentos à qual os preparadores são especialmente vulneráveis.

Existe a ideia de que, uma vez que você cria sua lista de verificação, ou lista de compras, para seu estoque de alimentos de emergência, você pode simplesmente “desistir do programa” assim que tiver marcado tudo da lista.

Pronto, você está bem! Você finalmente está “preparado”! Infelizmente, isso não é verdade.

Você provavelmente já ouviu dizer que o preparo é uma jornada, e isso é especialmente verdadeiro quando se trata de armazenamento de alimentos.

Em resumo, você nunca pode simplesmente ficar parado e parar. Mesmo depois de acumular uma certa quantidade de alimentos, seu trabalho nunca terminará.

Os alimentos devem ser rotacionados regularmente, inspecionados periodicamente e substituídos quando necessário.

Acumular tudo em sua lista e depois ficar parado esperando que as bombas caiam significa que você terá toneladas de alimentos estragados e inúteis quando e se aquele dia fatídico chegar.

Seus alimentos não durarão para sempre, não importa como sejam preparados ou preservados, e isso significa que você deve constantemente e incrementalmente estar substituindo seus estoques.

É assim que as coisas são.

Mito #5: “Feijões e Grãos Secos Nunca Estragam.”

Alguns preparadores, especialmente os de uma linha mais antiga ou minimalista, não gostam de lidar com o estoque e armazenamento de todas as diferentes latas, embalagens e potes de alimentos que representam as provisões modernas prontas para consumo hoje em dia.

Em vez disso, eles voltam às origens e planejam estocar apenas os itens essenciais, especialmente feijões secos e diversos grãos.

A ideia é que esses alimentos simples e nutritivos sejam basicamente imunes à degradação e subsequente decomposição que tanto aflige nossos alimentos modernos processados e úmidos.

Infelizmente, esses alimentos não duram para sempre e podem ser mais vulneráveis à deterioração do que outras opções em certas condições.

Embora os feijões geralmente não se decomponham quando armazenados secos nas condições corretas, eles são conhecidos por ficarem cada vez mais duros ao longo do tempo, até que você basicamente não consiga cozinhá-los.

Existem relatos de feijões antigos ou vintage que se recusam a amolecer mesmo em uma panela de pressão.

Os grãos não são muito melhores, pois se desfazem ao longo do tempo até virarem pó e continuam vulneráveis a infestações de vários insetos e artrópodes durante todo o seu tempo de prateleira.

No fim das contas, você nunca pode escapar ou “enganar” a necessidade de inspecionar e rotacionar seus estoques de alimentos regularmente.

Mito #6: “Refeições de Emergência Liofilizadas são Tudo o que Você Deve Comprar.”

Em contraste total com o mito anterior, alguns preparadores optam por opções modernas para o armazenamento de alimentos, escolhendo estocar centenas de quilos de refeições de emergência liofilizadas em potes de plástico super resistentes, tão populares atualmente.

Muitos desses produtos são comercializados especificamente para preparadores e outros adeptos de prontidão pessoal e frequentemente são promovidos como tendo uma vida útil medida em anos, sem absolutamente nenhuma necessidade de cuidados.

Embora isso possa ser verdade e as refeições de emergência liofilizadas, preservadas e embaladas a vácuo possam realmente ser o rei do pedaço quando se trata de vida útil, elas não são a única e verdadeira solução para um estoque de alimentos de emergência.

Sempre há um porém, e o porém das comidas liofilizadas é que elas exigem uma quantidade tremenda de água apenas para serem preparadas.

Isso, como você pode imaginar, aumentará drasticamente a quantidade de água que você precisa manter à mão, fresca e pronta para uso, se quiser contar com essas comidas liofilizadas que comprou.

Isso pode ser um fardo logístico totalmente desproporcional à disponibilidade do ingrediente crucial.

Não é por acaso que esses alimentos liofilizados muitas vezes estão repletos de conservantes químicos adicionais e absolutamente carregados de sal, o que, por sua vez, o deixará com mais sede e desejará ainda mais água…

Mito #7: “Você Pode Guardar seus Alimentos Armazenados Onde Couberem.”

Não todo mundo desfruta do mesmo estilo de vida ou arranjos de moradia como os outros, e para alguns preparadores, o espaço de armazenamento é um bem decidido e altamente valorizado.

Isso significa que espaços de armazenamento não convencionais devem ser encontrados, convertidos ou de outra forma utilizados para guardar esse estoque de alimentos de emergência.

Artigos abundam na internet aconselhando aqueles de nós que vivem em espaços apertados onde podemos guardar nossos alimentos, e embora genuinamente úteis, muitas vezes omitem os fatores pertinentes que ditam quais alimentos podem ser armazenados com segurança onde e por quanto tempo.

Deixar de levar em conta os requisitos individuais de armazenamento de alimentos resultará em aumento de deterioração, dinheiro desperdiçado e certamente esforço aumentado, pois a frequência de inspeção e rotação será maior.

Você não deve manter alimentos desidratados ou enlatados onde guarda vegetais frescos ou grãos e feijões a granel.

Não necessariamente, pois dependendo do item em questão, os requisitos podem ser muito diferentes.

Claro, você só pode fazer o que pode, mas isso é algo que deve ser mantido em mente se você quiser que seu estoque dure o máximo possível.

Conclusão: Sabedoria na Preparação

Todos nós começamos em algum lugar, e ninguém tem todas as respostas, mas quando você quer fazer algo da maneira certa, muitas vezes é mais instrutivo evitar cometer os maiores e mais comuns erros.

Quando se trata de montar e armazenar seu estoque de alimentos de emergência, os sete mitos acima são alguns dos mais prevalentes e potencialmente os mais destrutivos.

Certifique-se de aprendê-los, memorizá-los e se esforçar continuamente para evitá-los!

Lembre-se de que o conhecimento é poder, e ao se educar sobre esses mitos e aprender a evitá-los, você estará muito mais preparado para enfrentar qualquer situação de emergência que possa surgir no futuro.

Portanto, continue se informando, mantenha seu estoque de alimentos regularmente atualizado e mantenha-se sempre vigilante em relação à sua preparação para emergências.

Com essas dicas em mente, você estará um passo à frente para garantir a sua segurança e o bem-estar e de seus entes queridos em tempos de adversidade.

A prevenção é sempre melhor do que a correção, e estar preparado nunca é demais.

Fonte: Daily Survival

Quer mais, então cai dentro!

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *